segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

OSRAM CONQUISTA PRÊMIO INTERNACIONAL POR ILUMINAÇÃO DO TEATRO ZHUHAI GRAND, NA CHINA.


Osram provou mais uma vez ser referência mundial em iluminação. A multinacional alemã conquistou o prêmio Global Showcase Top 100 Award pelo trabalho realizado na iluminação do Teatro Zhuhai Grand, um dos maiores pontos turísticos da cidade de Zhuhai, na China. Este foi o terceiro ano consecutivo em que a empresa conquista a premiação internacional.

Para o projeto, foram instalados pontos coloridos de LED, que possuem 51 mil pixels e são controláveis individualmente, o que permite animações com vídeo e luz nas paredes do edifício. A programação e a reprodução de imagens são possíveis com o uso da tecnologia de controle chamada "e: cue".

Durante a noite, o teatro oferece um jogo de luzes fascinante. Em dias normais, são projetadas imagens tiradas do oceano, referência à herança de Zhuhai como um importante porto de pesca. Porém a apresentação pode ser modificada conforme o momento ou data festiva do ano.

Visite: www.osram.com.br.

Osram.
Grupo Image. 

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora.

domingo, 10 de dezembro de 2017

VOLVO OCEAN RACE: BARCOS PARTEM PARA A AUSTRÁLIA.

Foto: Ainhoa Sanchez

A terceira etapa da Volvo Ocean Race começou neste domingo (10) na Cidade do Cabo, na África do Sul 

A perna deve ter duração de 15 dias e terá como destino final Melbourne, na Austrália. Os sete barcos na disputa, incluindo o team AkzoNobel, da brasileira Martine Grael, terão 6.500 milhas náuticas pelos mares do sul, famosos pelos ventos fortes, ondas gigantes e o frio. Logo de cara, os tripulantes pegaram rajadas de até 25 nós.

A previsão é de ventos muito fortes até segunda-feira (11), depois deve diminuir um pouco até voltar a soprar com intensidade novamente já no Oceano Antártico (mares do sul).

''Estou tentando me preparar psicologicamente antes de sair da Cidade do Cabo. Será uma etapa muito dura e difícil. Nós do team AkzoNobel estamos com pensamento positivo para conseguir andar bem e chegar mais perto dos líderes da Volvo Ocean Race'', disse a campeã olímpica Martine Grael.

A liderança nas primeiras milhas ficou dividida entre MAPFRE e Dongfeng Race Team, curiosamente os primeiros colocados na classificação geral. O AkzoNobel deixou o percurso entre bóias com a Table Mountain de fundo em quarto.

Para Martine Grael, a etapa 3 é importante, pois tem pontuação dobrada, ou seja, o vencedor soma 14 pontos mais 1 de bônus. Nas pernas normais, o ganhador leva sete. ''A terceira etapa também é importante, pois tem o ponto duplo, o que nos ajudaria na classificação. Na última etapa - entre Lisboa e a Cidade do Cabo - ficamos em quinto lugar. Foi uma perna difícil psicologicamente. Ficar no grupo de trás para uma tripulação muito competitiva, onde todo mundo quer ganhar, não é fácil. Chegamos cabisbaixos na África do Sul. Mas algumas mudanças foram feitas, incluindo a chegada de dois tripulantes novos'', reforçou Martine Grael.

O team AkzoNobel colocou dois velejadores novos no grupo. O espanhol Alex Pella, recém ganhador da Transat Jacques Vabre na classe Multi50, e o neozelandês Justin Ferris estão no time. Já o Dongfeng Race Team teve que fazer uma mudança de última hora. O neozelandês Daryl Wislang sofreu uma lesão nesta manhã e a equipe decidiu não arriscar, colocando a bordo o francês Fabien Delahaye.

Foi a décima primeira vez na história do evento que a flotilha partiu da Cidade do Cabo. "São as piores condições que se pode encontrar, mas também as melhores de todas", disse Stu Bannatyne, três vezes vencedor da competição, a bordo de Dongfeng em resposta a uma pergunta sobre o Oceano Austral.

"Felizmente, a mente humana esquece os maus momentos e só lembra do bom, e é por isso que continuamos a querer voltar".

Volvo Ocean Race.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora.

A FRANÇA NÃO QUER MENOS DIAS LETIVOS. Por José Renato Nalini.

A educação é o assunto recorrente em todo o globo. A majestosa França, berço do iluminismo, que legou ao mundo a tríade mágica da legalidade, igualdade e fraternidade, está às voltas com problemas na sua rede pública.

Questões econômicas fizeram com que a República entregasse aos municípios a responsabilidade de fixar o ritmo escolar do ensino oficial. Uma das propostas, calcada em economia, é a semana de 4 dias. As aulas se desenvolveriam de segunda a quinta-feira e às sextas-feiras os alunos estariam livres.
        
Vozes autorizadas se opuseram à sugestão, com carta aberta aos Prefeitos publicada na página dos debates do "Le Figaro" de 11 de outubro. Salientam que a decisão é muito grave. A França já é o país europeu em que a duração do ano escolar é a mais curta: em 2014, com os facultativos e feriados, foram 162 os dias letivos. Os demais vizinhos desenvolvem programa escolar em 180 ou 200 dias. Este último parâmetro é o adotado no Brasil.
        
Se a semana de quatro dias vier a ser aprovada, serão 35 dias letivos menos, o que fará com que o ano escolar francês atinja 127 dias. Sustenta-se que os filhos de professores ou de pessoas bem providas de recursos financeiros e materiais não sofrerão tanto. Mas para a pobreza, o golpe será fatal.
        
Um dos argumentos contrários é que a avaliação PISA não reserva o melhor lugar para a França. Mas se a semana de quatro dias vier a ser adotada, ela com certeza irá para os últimos dentre os avaliados pela OCDE.
        
Enquanto isso, no Brasil a tendência é aumentar o tempo de permanência do aluno na escola. Não, necessariamente, para contar com mais aulas expositivas no contraturno. Mas para desenvolver outras atividades, pois a formação entregue à escola não se faz exclusivamente com preleções, já que o conhecimento nunca esteve tão disponível e tão acessível a todos. O mais importante é propiciar ao alunado o contato com a realidade, com o mundo do inesperado, preparando-o para um futuro em que tudo será diferente, embora não possamos afirmar, com segurança, em que consistirá essa diferença.
        
O bom, por enquanto, é que aqui ninguém fala em encurtar o período de aulas. Com um aspecto que não deve preocupar a França, mas que para o Brasil é uma realidade: grande parcela do alunado da Rede Pública também não pode prescindir da alimentação nutritiva, balanceada e super controlada em várias instâncias, que se oferece gratuita e abundantemente a cada estudante na escola pública. A redução de jornada significaria perda significativa no integral desenvolvimento da criança brasileira.








José Renato Nalini é secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação. 
Visite o blog: renatonalini.wordpress.com.


Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora.

sábado, 9 de dezembro de 2017

CASA DA MÃE JOANA.
Por Marli Gonçalves*

NA URBE: DESORIENTADOS, DESNORTEADOS E LARGADOS

Não há batatinha amarrada na fronte que resolva. Calmante que acalme. Protetor de ouvido que dê conta. Se a pessoa anda armada é um perigo sair dando tiros. Se achar uma granada o perigo será destravar a rolha e mandar bem no alvo, virando um terrorista urbano. Morar em São Paulo está ficando a cada dia mais impraticável. E não é só o barulho.

Você vai ficando louco, começa a pensar em tomar as medidas mais drásticas, tem os pensamentos mais subversivos, terríveis, punks. Os instintos mais primitivos. O barulho vai corroendo as entranhas, tomando conta. Os obstáculos e situações estressantes se acumulam. Os problemas da cidade e a falta de controle e fiscalização chegaram a um nível insuportável e que afeta gravemente a nossa saúde. Que será preciso para que providências reais sejam tomadas para melhorar nossa qualidade de vida?

No momento, me perdoem, tenho dúvidas, inclusive, se a cidade está sendo habitada apenas por bananas; se ao meu redor só existem pessoas bananas, medrosas, já tão acostumadas a ser massacradas que ficam sem reação, não se defendem mais de nada, inertes, palermas.  Não reclamam, esperam que alguém o faça. A vida real está passando ao largo nesses tempos digitais.

Escrevo nesse momento com uma dor de cabeça daquelas, daquelas que irradiam, sabe? Se fosse uma sessão de tortura creio que entregaria até a minha mãe, confessaria coisas inconfessáveis, os segredos mais recônditos, desde que me prometessem o que venho considerando uma dádiva: o silêncio.

Estou, e claro não sou só eu, mas um monte de gente que mora aqui por perto, submetida a – escutem, por favor, tenham pena de mim – horas a fio, diárias, de uma britadeira em uma construção próxima. No meu prédio, mais próximo ainda, soma-se uma obra que já dura quase um ano e que alterna serra elétrica, bate-estacas e outros sons que vão se infiltrando na mente. Isso junto às sirenes de ambulâncias, buzinadas frenéticas, rota de helicópteros e aviões, latidos e ganidos de pobres cachorrinhos deixados sós o dia inteiro, criancinhas birrentas, funkeiros motorizados, entre outros sons, até como os vindos de revoadas de periquitos verdes chalreando.

Aí você sai de casa. Fora a vontade de usar colete à prova de bala, carregar arco e flecha, gás de pimenta e/ou outros apetrechos básicos para se defender, encontra a buraqueira nas ruas e calçadas. É tibum na certa. A falta de educação das pessoas que avançam como se você não existisse. Os motoqueiros que inventaram uma via imaginária entre os carros e querem que você encolha seu veículo como o daquela cena famosa do Gordo e o Magro. O carro fininho passando no cruzamento.

(Confesso: outro dia pensei seriamente em comprar uma máquina de choque elétrico para usar nesses casos. A ideia seria colocar a mão pra fora rapidinho no momento que um desses estivesse te apertando com aquela buzininha infernal. Bzzz, Bzzzz, fritado igual faz aquela raquete de pegar mosquito.)

Mas quero ainda focar em mais um detalhe: notaram como está (ou melhor, não está) a sinalização das vias? Quando há placas estão sujas, tortas, viradas, ilegíveis, cobertas, erradas. Tenta procurar um endereço. Um número na rua. Uma faixa pintada direito no chão. Não há Waze que resolva. Ao contrário, como aconteceu comigo esses dias, essezinho aí me fez andar inacreditáveis 35 quilômetros errados até um endereço que só achei quando o desliguei – um dos maiores alívios que senti nos últimos tempos. Até porque quem disse que ele funciona direito direto? Você está lá, seguindo, por exemplo, na frente de um viaduto que não sabe se é para pegar. E o que acontece? Zona morta, apagada, cinzenta, sem GPS, sem sinal, sumiu aquela vozinha para te orientar. Já era.

Ah, vá! Já aconteceu com você também, tudo isso, não é?

SP, insuportável, especialmente em fim de um ano como este aqui.





* Marli Gonçalves, jornalista – Para que me entendam melhor, pelo menos uma parte do problema, gravei. Ouça. Quem sobrevive a isso, durante dias, o dia inteiro? soundcloud.com/marli-gon-alves/sets/barulhos-infernais 
Tenho um blog. Divertido e informante ao mesmo tempo, no marligo.wordpress.comEstou no Facebook e no Twitter.
e-mails: marli@brickmann.com.br e marligo@uol.com.br. 
Visite o "Chumbo Gordo": www.chumbogordo.com.br.


Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora. 

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

PARANÁ CONCLUI COLHEITA DE CEVADA COM MAIS DE 165 MIL TONELADAS.


O longo período de seca influenciou a produção da cevada na região de Guarapuava (PR), maior produtora do cereal no Brasil. Apesar do curto período para colher, o produtor da região pôde contar com a linha CR de colheitadeiras da New Holland para o trabalho. O Departamento de Economia Rural (Deral), ligado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná, aponta para 165.745 toneladas colhidas nesta safra.

Andreas Kellers produz, no município de Pinhão (PR), 250 hectares de cevada. Ele conta que a CR9060 foi de grande ajuda para a colheita, já que precisava fazê-la de forma rápida para iniciar o plantio da soja.

“No início de agosto ficamos três semanas sem chuva. No fim daquele mês e em setembro, mais 45 dias”, conta Kellers. “Este ano tivemos um período longo de estiagem e, quando chegou a época da colheita, em novembro, tinha que fazer rápido para não pegar chuva novamente”, completa Kellers.

A colheita resultou em grãos de qualidade devido também ao sistema de duplo rotor da CR. A tecnologia Twin Pitch da colheitadeira foi desenvolvida para entregar a melhor performance, mesmo em condições mais difíceis de alimentação e debulha.

As barras de trilha foram desenhadas para aumentar a capacidade de debulha e, ao mesmo tempo, são dispostas de forma a otimizar a passagem do material pelos côncavos, aumentando a capacidade de trilha e separação. “A New Holland está sempre ao lado do produtor, principalmente em períodos como esse, quando ele precisa fazer uma colheita ágil e com qualidade”, explica Cesar de Lima, gerente da concessionária Simex, da New Holland.


Página 1 Comunicação.
Fotos: Marcos Campos.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora. 

JADLOG ADOTA A IMAGEM DO DPDGROUP E INVESTIRÁ R$ 50 MILHÕES EM 2018 EM TECNOLOGIA E LANÇAMENTO DE NOVOS SERVIÇOS.

A JadLog, uma das maiores transportadoras de cargas expressas fracionadas e um dos principais operadores logísticos do comércio eletrônico do País, vai encerrar 2017 com um crescimento recorde de 20%, no primeiro ano sob a gestão e controle do grupo GeoPost - a segunda maior rede de distribuição de encomendas na Europa, através de sua rede internacional DPDgroup -, e prepara-se para investir R$ 50 milhões em 2018, a fim de ampliar a eficiência de sua operação e lançar novos serviços.

Apesar do cenário econômico em 2017, a JadLog estima fechar o ano com um faturamento de R$ 480 milhões, após um mês de novembro recorde, em que  suas receitas cresceram acima de 30%. A JadLog entregou mais de 12,5 milhões de encomendas até novembro e bateu o seu recorde no Black Friday, com mais de 76 mil encomendas entregues nesse dia.

Após um primeiro ano que superou as expectativas, a JadLog anuncia um plano ambicioso para os próximos anos, com o objetivo de atingir R$ 1 bilhão de faturamento. Para fortalecer esta nova dinâmica, a JadLog apresentou a sua nova imagem corporativa, que adota as cores do seu acionista majoritário, o DPDgroup.

As novidades não se limitam à nova imagem. A JadLog prepara o lançamento de novos serviços na área das expedições internacionais, um novo produto voltado ao e-commerce, a criação de um portal de devoluções e um aplicativo para destinatários, além de investir em sistemas para facilitar a integração com os websites dos clientes e a automatização da operação.

"Temos um plano estratégico que vai nortear a empresa nos próximos anos e nos tornará a referência nos mercados B2B e B2C para encomendas até 30 quilos. E vamos cumprir nossos planos com eficiência", destaca Olivier Establet, CEO da GeoPost em Portugal e Presidente do Conselho de Administração da JadLog.

Ampliado em 2017, com o apoio da estrutura global do Grupo GeoPost, o serviço de expedições  internacionais começou a operar em outubro último com a importação de mercadorias, provenientes principalmente da Europa e da Ásia. E, a partir de março de 2018, a JadLog passará também a oferecer um serviço de  exportação aos seus clientes.

Na área de novos serviços, a grande novidade da JadLog, em 2018, será o serviço Pickup, que permitirá a retirada das encomendas de e-commerce pelo consumidor em diferentes pontos de conveniência, que serão escolhidos por ele, de acordo com a sua localização e preferência. Com previsão de lançamento no início de 2018, Pickup ampliará ainda mais a capilaridade da empresa e fará com que a JadLog seja a referência neste tipo de serviço no Brasil, assim como ocorre com o DPDgroup na Europa, onde foram retiradas mais de 52 milhões de encomendas nas mais de 28 mil lojas da rede Pickup no ano passado.

Em busca de eficiência, a JadLog também investirá na área de Tecnologia, com a previsão de implantação de um sistema de ERP integrado, com webservices, e aplicativos de entrega que permitirão ao destinatário acompanhar o status da encomenda em tempo real.

Finalmente, consciente dos desafios do crescimento que se avizinha, a JadLog prepara-se para reforçar as suas capacidades de processamento e triagem de encomendas, com um investimento de dezenas de milhares de reais na implantação de um sorter automático de encomendas, que poderá triar mais de 10 mil encomendas por hora.

GPCOM Comunicação Corporativa.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora. 

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

FCA VENCE PRÊMIO DA AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS.

A Fiat Chrysler Automóveis (FCA) é vencedora do Prêmio ANA 2017, na categoria Empresas de Médio e Grande Porte

Considerada uma das mais relevante do país, a premiação é realizada pela Agência Nacional de Águas (ANA), vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, e reconhece as melhores iniciativas que contribuem para gestão e uso sustentável dos recursos hídricos no Brasil.

De acordo com o gerente de Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho da FCA para a América Latina, Cristiano Felix, a conquista do prêmio é resultado da combinação de ações para o uso eficiente dos recursos hídricos nas unidades produtivas de veículos e motores, localizadas em Betim (MG), Goiana (PE) e Campo Largo (PR). 

Investimentos em tecnologias de ponta para o aumento da eficiência do tratamento de efluentes e reúso integram-se a projetos de captação de água de chuva e de educação ambiental, com o engajamento dos funcionários para o consumo consciente. A preservação da biodiversidade também é um diferencial, com destaque para recuperação de uma área verde de 105 hectares na fábrica de motores de Campo Largo, que abriga cinco nascentes e dois córregos.

“O reconhecimento nos faz buscar novos desafios e nos aperfeiçoarmos cada vez mais“, afirmou Cristiano Felix ao receber o prêmio durante solenidade realizada ontem (6) em Brasília. Nas unidades da FCA no Brasil, o índice de reúso de água é de mais de 99%, ou seja, o efluente é tratado e retorna para o processo produtivo, praticamente eliminando o consumo de água potável na manufatura. Campanhas para mobilizar os empregados na identificação de oportunidades para combater o desperdício também trazem resultados. Em 2016, mais de 220 ideias sugeridas por funcionários proporcionaram a redução de 255 mil m³ de água, volume equivalente a 102 piscinas olímpicas.

No total, foram 637 projetos inscritos em nove categorias, incluindo Empresas de Micro e de Pequeno Porte, Ensino, Governo, Imprensa, Organizações Civis e Pesquisa e Inovação Tecnológica. Os critérios avaliados foram efetividade, impactos social e ambiental, potencial de difusão, adesão social, originalidade e sustentabilidade financeira. Todos os projetos semifinalistas passaram por vistorias feitas por especialistas da ANA.

Além do Troféu Prêmio ANA, a FCA vai participar do 8º Fórum Mundial de Água, que acontecerá em Brasília em março de 2018. Será a primeira edição do maior evento do mundo sobre água no Hemisfério Sul, com público esperado de 30 mil representantes de mais de 100 países.

Fiat Chrysler Automóveis.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora. 

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

CARTEIRA NACIONAL DE HABILITAÇÃO PASSA A TER FORMATO DE CARTÃO INTELIGENTE.


Com o objetivo de oferecer soluções mais seguras e modernas à população brasileira, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) do Ministério das Cidades, lança a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em formato de cartão inteligente.  O documento, que hoje é emitido em papel, passa a ser em suporte de cartão plástico, do tipo policarbonato, contendo microcontrolador (chip). 

Segundo o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, a medida é benéfica para todos, uma vez que proporcionará maior segurança e possibilitará integração com outros países. "Buscamos a modernização, inovação como muitos países já adotaram para aumentar a segurança, reduzir a probabilidade de ocorrência de fraudes e aumentar a durabilidade", explicou o ministro. 

Até 1º de janeiro de 2019 os órgãos e entidades executivos de trânsito dos Estados e do Distrito Federal deverão adequar seus procedimentos para adoção do novo modelo da CNH estabelecido em Resolução que será publicada nesta semana, quando revogará a Resolução CONTRAN nº 598, de 24 de maio de 2016, que regulamenta a produção e a expedição da CNH com novo layout e requisitos de segurança.

Novo modelo

O Contran contou com o suporte técnico do Centro de Pesquisa em Arquitetura da Informação (CPAI) da Universidade de Brasília (UNB), que elaborou um "Estudo de Impacto da Mudança da CNH", que recomendou a alteração do modelo do documento, sugeriu o uso de cartão inteligente, também conhecido como smart cad que assemelha-se a um cartão de crédito convencional, com gravação a laser dos dados variáveis e com chip.  

Além da resistência e alta durabilidade, a nova CNH considera a possibilidade de inserção de dados e informações relativos aos condutores nos chips embarcados, bem como facilitar acesso a certificados digitais. Ela amplia as possibilidades de utilização dos documentos, a consulta e verificação de inúmeros dados.

Serviços possíveis com a nova CNH

A nova CNH em "cartão inteligente" será equipada com um chip sem contato, de  protocolo aberto e não proprietário, independente de software e hardware, tecnologia de leitura de dados presente nos smartphones.

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) controla as chaves de acesso aos dados gravados no chip e pode permitir, através de convênio, que outras entidades públicas ou privadas utilizem "pastas ou aplicações específicas" dentro do chip, sem correr o risco de leitura ou gravação indevida de dados protegidos/sigilosos.

Algumas possibilidades 

1) Fiscalização mais rápida e off line (sem o uso de dados) utilizando telefones celulares
2) Pagamento de pedágio
3) Pagamento de transporte público
4) Controle de acesso (prédios públicos, universidades, estacionamentos, etc..)
5) Identificação através de comparação biométrica (as digitais estarão carregadas dentro do chip e poderão ser usadas para validar a identidade em bancos, serviços públicos, e-Governo, etc..)

Ministério das Cidades. 

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora. 

RODOBENS REVERTE PARTE DE SUAS VENDAS DE CONSÓRCIO PARA AACD.

A Rodobens doou parte de seu faturamento obtido com a venda de consórcio para a AACD de São José do Rio Preto, interior de São Paulo. No total, foram doados R$ 12,7 mil, valor arrecadado em dois eventos - Dia do Cliente e Fenatran, realizados no segundo semestre deste ano. As iniciativas envolveram 40 concessionárias da empresa em diversas regiões do país e contaram com a participação de mais de 3 mil clientes.

A entrega dos cheques foi feita pelo superintendente de consórcio, Rafael Dolabella, e pelo superintendente de inovação e marketing, Cláudio Jesus, na sede da AACD rio-pretense.

O envolvimento da Rodobens com a associação não é de agora. Em 2014, a organização patrocinou dois eventos e realizou a doação de uma moto 0km; em 2015, foram doados mais de mil brinquedos angariados durante festas de confraternização; já em 2016, foram doadas roupas arrecadadas entre seus colaboradores. Esta foi a primeira vez que a empresa fez as doações para a AACD em valores monetários.

“Costumamos desenvolver campanhas que beneficiam as regiões onde atuamos, o que está em linha com a nossa missão de proporcionar valor duradouro. Além de proporcionar mudanças e benefícios às pessoas por meio de entidades que recebem nossas doações, inspiramos aqueles que participam voluntariamente das ações sociais, já que a organização é uma incentivadora de mudanças corporativas e individuais”, afirma Cláudio Jesus, Superintendente de Inovação e Marketing da Rodobens.

A AACD é umas das mais conhecidas associações sem fins lucrativos do país. Com sede na capital paulista, visa tratar, reabilitar e reintegrar à sociedade crianças, adolescentes e adultos portadores de deficiência física. Realiza mais de 1,2 milhão de atendimentos por ano em 13 unidades localizadas em diversos estados. 

Com sete unidades de negócio no segmento financeiro e de varejo automotivo – Banco, Consórcio, Corretora de Seguros, Leasing & Locação, Automóveis, Veículos Comerciais e Seminovos – a Rodobens é uma empresa de São José do Rio Preto (SP), com atuação nacional e faturamento anual de R$ 3 bilhões.

CDN Comunicação.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora. 

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

GOL INICIA OPERAÇÕES REGULARES PARA O AEROPORTO DE JERICOACOARA.


A GOL Linhas Aéreas Inteligentes inicia nesta quarta-feira (6) suas operações regulares no aeroporto de Jericoacoara, no litoral do Ceará. A companhia será a primeira aérea a realizar voos regulares para o destino, sem escalas, a partir de de São Paulo. Os clientes terão à disposição dois voos semanais partindo às quartas-feiras do aeroporto internacional de Guarulhos e, aos sábados, de Congonhas. Os voos serão operados com aeronaves Boeing 737- 800, com capacidade para até 177 passageiros.

A nova rota regular da companhia conectará os clientes a um dos destinos de praia mais procurados pelos turistas, com a possibilidade de embarcar ou desembarcar nos principais aeroportos de São Paulo, que oferecem ampla conectividade com a malha da companhia e suas parceiras internacionais. Jericoacoara será o 64​º destino atendido pela companhia.
​                                      ​
Horários dos novos voos

Voo
Origem
Destino
Frequência
G3 4832
Guarulhos
10h05
Jericoacoara
12h35
Às quartas
G3 4831
Jericoacoara
13h10
Guarulhos
17h50
Às quartas
G3 9612
Congonhas
10h30
Jericoacoara
13h00
Aos sábados
G3 9613
Jericoacoara
13h30
Congonhas
18h10
Aos sábados

Em 16 anos de história, a GOL Linhas Aéreas Inteligentes ajudou a construir elos, aproximando pessoas e diminuindo distâncias com segurança e inteligência. A empresa teve um importante papel na democratização do transporte aéreo no Brasil, contribuindo para que cerca de 18 milhões de pessoas voassem pela primeira vez. Com isso, tornou-se a maior companhia aérea de baixo custo e a de melhor tarifa da América Latina. É ainda líder em passageiros transportados no mercado doméstico, tanto no segmento de lazer quanto no corporativo, e em pontualidade – de acordo com dados da Infraero e da OAG (Official Airline Guide), empresa especializada e independente para monitoramento de pontualidade mundial. 

A GOL possui a maior oferta de assentos com o selo "A" da ANAC, disponibilizando ainda mais conforto em seus mais de 700 voos diários, que atendem 65 destinos domésticos e internacionais para a América do Sul e Caribe. A companhia mantém alianças estratégicas com Delta Air Lines, Air France e KLM, além de disponibilizar aos clientes 13 acordos de codeshare e mais de 70 de interline. Essa oferta traz mais conveniência e facilita as conexões para qualquer lugar atendido por essas alianças.

Com o seu programa de relacionamento Smiles, é possível acumular milhas e resgatar bilhetes para mais de 160 países e 800 destinos no mundo. Além disso, a Gollog capta e distribui cargas e encomendas em aproximadamente 2.500 municípios brasileiros e mais de 90 destinos internacionais em conjunto com as empresas parceiras.

GOL Linhas Aéreas Inteligentes.
In Press Porter Novelli.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

Assista> TV Coisas de Agora.